Minha lista de blogs

domingo, 30 de agosto de 2015

O VELHO CÃO DE CAÇA


Uma fábula de Esopo 
Por Nicéas Romeo Zanchett 
.
              Houve um velho cão de caça que tinha trabalhado muito durante longos anos; estava velho, cansado e doente. Mas seu dono insistia em levá-lo para caçar.
               Aconteceu que durante uma exaustiva caçada pelas montanhas, o velho cão conseguiu apanhar um grande veado; agarrou-o por uma das patas, mas seus dentes já velhos e estragados não conseguiram segurar o ágil animal. 
               Desesperado, o dono ficou furioso e começou a bater com chicote no pobre cão. O fiel animal disse-lhe tristemente: 
               - Senhor, tenha piedade! não bata no seu antigo servo; eu de boa vontade continuaria a servir-lhe como antes, mas estou velho e faltam-me forças. Se hoje não sou de grande utilidade, lembre-se dos bons tempos em que lhe prestei todos os serviços solicitados.
.
MORAL DA HISTÓRIA
         Hoje muitas pessoas desprezam os velhos pela sua fraqueza e falta de energia. Não é justo que se esqueçam dos bons tempos que dedicaram ao trabalho em benefício da família e da sociedade. 
.
Tenho muita esperança nas crianças. Percebo que está havendo muito mais amor aos animais e isto é motivo para festejarmos. 

.
Nunca se esqueça que você também envelhece com seu cão; Nunca o abandone. É na velhice que ele precisa de retribuição. 

Nicéas Romeo Zanchett 





domingo, 22 de fevereiro de 2015

O LOBO E O CABRITINHO


                    Certo dia, um lobo viu um cabritinho que brincava correndo pelos campos longe da casa dos seus pais. Sem nenhuma demora partiu correndo para pegá-lo. Mas o cabritinho, assustado e com muito medo, correu desesperadamente para salvar-se. Depois de muito correr, já cansado, decidiu dialogar com o lobo para que ele desistisse de devorá-lo. Parou e disse: 
                   - Espere senhor lobo; já compreendi que não tenho como escapar de suas garras, mas antes de ser devorado quero lhe fazer  um último pedido. 
                   - Está bem - disse o lobo - se for possível vou atender o seu pedido. O que você quer? 
                   - É que eu gosto muito de música e sempre trago comigo uma gaitinha; gostaria que, antes de me devorar, alegre meus últimos momentos tocando a gaita para eu dançar. 
                   - Está certo. Dê-me essa tal gaita que tocarei. Vamos logo com isso porque estou com fome. 
                   O lobo começou a tocar e o cabritinho dançou alegremente, indo e vindo para todos os lados.
                    O cabritinho sabia que ali perto havia uma casa com cães pastores. Não demorou muito e os bravos animais chegaram e puseram o lobo para correr desesperadamente. 
                    O cabritinho voltou para casa a salvo e pensando: "Se tivesse ouvido o conselho da minha mãe não teria me metido em encrencas. Nunca mais vou sair às escondidas". 
----------------------
Moral da história
O conselho de nossos pais devem ser seguidos porque eles sempre querem o melhor para nós.
Nicéas Romeo Zanchett 

terça-feira, 27 de maio de 2014

A RAPOSA E O LEÃO VAIDOSO

A RAPOSA E O LEÃO 
                      A raposa sempre foi muito esperta. Um dia quis provar que era melhor que o leão e foi até ele discutir sobre o assunto. 
                      - Senhor Leão - estive pensando e cheguei à conclusão que sou melhor que o senhor; da última vez que procriei tive três lindos filhotes e, pelo que sei, o senhor é pai de apenas um leãozinho.
                       - É verdade, respondeu o leão, mas o meu filho é um príncipe e um dia  herdará meu lugar e será o rei da floresta; enquanto seus filhotes nunca terão o poder. 
.
Moral da história: Muitos se consideram superiores apenas por ter algum cargo importante. 
Adaptação: 
Nicéas Romeo Zanchett 
.

sábado, 18 de janeiro de 2014

MÚSICAS SELECIONADAS : Earth Song - Michael Jackson - Subtítulos en españ...



CLIQUE NO LINK ABAIXO
MÚSICAS SELECIONADAS : Earth Song - Michael Jackson - Subtítulos en españ...:   A CRUELDADE DO SER HUMANO NÃO TEM LIMITES. ESTAMOS DESTRUINDO NOSSO  HABITAT  Nicéas Romeo Zanchett  LEIA >...
EXISTE SENTIMENTOS E AMOR ENTRE OS ANIMAIS
Precisamos respeitá-los e protegê-los.
Nicéas Romeo Zanchett 

.



LEIA >>>>>> SUPERPOPULAÇÃO
.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

O VELHO LAVRADOR E SEUS FILHOS



O VELHO LAVRADOR E SEUS FILHOS 
Adaptação: Nicéas Romeo Zanchett 
                 Houve, num tempo muito distante, um velho lavrador que tinha dois filhos. Após ficar gravemente enfermo e sentindo que iria morrer, chamou os dois até a cabeceira de sua cama  e assim lhes falou: 
                 - Meus queridos filhos, sinto que vou morrer; antes, porém, quero dizer-lhes que toda a fortuna que posso deixar-lhes  e que repartirão em partes iguais, é a fazenda  e as terras; desejo que continuem a cultivá-las, pois nelas, a um dou dois pés de profundidade, há um tesouro. 
                 Os filhos ficaram entusiasmados, acreditando que seu pai falava de alguma soma de dinheiro enterrada nas dependências da fazenda, e assim, depois da sua morte, puseram-se com todo o afã a cavar  as suas terras palmo a palmo. Extenuados de fadiga, não conseguiram encontrar o tal tesouro; mas a terra, perfeitamente cavada e removida, deu-lhes uma abundante colheita que foi a justa recompensa do seu trabalho. 
MORAL DA HISTÓRIA
 Não existe forma milagrosa para enriquecer. O trabalho cuidadoso e persistente é a verdadeira fonte de riquezas. Por isso, nunca desista dos seus sonhos. 
Nicéas Romeo Zanchett 

LEIA TAMBÉM >>> CONTOS E FÁBULAS DO ROMEO


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

O LEÃO, O LOBO E A RAPOSA



O LEÃO, O LOBO E A RAPOSA 
Adaptação: Nicéas Romeo Zanchett 
                   O leão que reinava naquela floresta já estava bastante velho; sentia-se cansado e doente, mas ainda era muito respeitado. 
                    Todos os animais foram visitá-lo, menos a raposa. O lobo, que não gostava da raposa e pensava em devorá-la, vendo que ela não vinha , aproveitou para cochichar no ouvido do leão.
                    - Majestade, o senhor reparou que todos vieram vê-lo, menos a raposa? 
                    - É verdade - disse o leão zangado. - Pois vá procurar aquela abusada e a traga aqui, imediatamente. 
                     O lobo logo tratou de aproveitar a oportunidade e saiu à procura da raposa. Assim que a encontrou, pegou-a pelo pescoço, pôs nas costas e levou até a presença do rei leão. 
                    Mas a esperta raposa já tinha um bom plano na cabeça. Assim que chegou foi logo se justificando dizendo: 
                    - Majestade, desculpe não ter vindo antes visitá-lo, mas estou muito preocupada com sua saúde e tenho andado à procura de algum remédio para curá-lo. 
                    - É mesmo? - perguntou o leão. E mostrando-se muito satisfeito, continuou:
                    - E você já descobriu como será possível curar-me?
                    E a raposa, cheia de alegria, foi logo dizendo: 
                    - Encontrei um velho amigo curandeiro que me informou a solução para o seu problema. 
                     - E que solução é essa? - perguntou o leão. 
                     - Ele me disse que para curar a sua enfermidade será necessário que o senhor passe a usar uma pele de lobo bem quentinha sobre as costas. 
                     Ao ouvir isso, o leão deu um salto sobre o lobo e arrancou-lhe a pele. 

Moral da História:  Quem procura fazer mal aos outros, acaba sendo vítima de suas próprias artimanhas. 
Nicéas Romeo Zanchett 
.
LEIA TAMBÉM  >> CONTOS E FÁBULAS DO ROMEO






BONS AMIGOS